Monthly Archives: February 2016

Ponto D

Naquele dia estava ainda mais aberta, ainda mais sangue, ainda mais ardida. Ainda mais ferida, mais do que qualquer outro dia de toda a nossa vida. Vivi e convivi com aquilo desde que saí do buraco escuro e consigo me … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

Aos filhos,

filhos de ogum, filhos de jeová, filhos de iemanjá, filhos de santa sara, saravá, filhos da dança, filhos da transa que ninguém gozou, filhos do chico, filhos do circo, filhos dos beatles, filhos únicos, filhos últimos, filhos da usp, filhos … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

Bloco das bonecas

Nasci puta. E com pinto. Pisei no mundo com fantasia de macho, de machado na mão. Do mato vim pro morro e no morro, você sabe, homem que não quer ser homem papa porra do dono da boca. Pior ainda … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

Com festa

a primeira coisa que me lembro é do saco. tinha muitos-mil eus, irmãozinhos, misturados e grudadinhos. a gente era bem parecido, mas cada um tinha seu próprio tom. um movimento, um estalo, uma mão e um punhado da gente pra … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment

Zumbido

Terceira paralela à rua seis, número cento e noventa e nove, cinquenta e sete metros de altura, décimo oitavo andar, final três, trinta metros quadrados. Um morador, homem, quarenta e oito anos. Um gato fêmea, um gato macho, os dois … Continue reading

Posted in Uncategorized | Leave a comment