Escrita Escrota

doída e duvidosa

gozo e desgosto

nasce no peito e jorra

 

poesia, heresia

me salga em maresia

me seca por dentro

 

sai de mim inverossímel

olha no meu olho e não reconheço

me estica o lábio e entorta o queixo

 

não gosto, não quero

se voltar pra mim, eu calo

se disser que é minha, eu nego

 

poeta sexo, de arte suja

que ri do amor

e diz que é arte

 

poema porra, que alivia e enoja

letra lesa que me envergonha

verso vertigem entorpece e entontece

frase forçada, fala em falsete

verbo vencido em mim, me enlouquece

 

Advertisements
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s