No buraco

Puxou a tampa de metal sem duvidarem da sua força.

Ela desceu pela escadinha bem devagar e ninguém olhou sua bunda.

Estava tudo muito escuro, mas não sentiu medo.

Não iriam seguir a moça no caminho de casa.

Tinham algumas baratas meio bizarras, daquelas que parecem ter saído de um filme de ficção.

Mas nenhuma assobiou quando ela chegou.

Que alívio.

Tomou um banho nas águas de baixo.

Livre.

Com tudo de fora.

Ninguém disse que ela estava pedindo.

No bueiro ela sentiu o respeito que merece.

Advertisements
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s