Quando você chegou 

Com as suas cicatrizes

Pensei comigo

Nunca vi um homem

Com tantas cicatrizes

 

Pensei até

Nunca vi ninguém

Com tantas cicatrizes

Mas você se apresentou

E me apresentou

Cada uma delas

 

A primeira foi de briga

Uma dessas de bar

De um bar desses

Onde você

Me conheceu

 

E eu conheci

Aquela ainda meio ferida

De quando você quis

Não querer mais

A vida

 

E eu recolhi

Cada cicatriz

Recolhi você

Recolhi sua vida

 

Como quem colhe

A fruta verde do pé

Que sabe que o gosto

Poderia ser mais doce

Mas come pelo medo

De perder

 

Como quem rasga

Mais uma vez

A própria pele

Pelo medo

De cicatrizar

Advertisements
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s